segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Loucos e Santos ~ Oscar Wilde




"Loucos e Santos"

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.

Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.


A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.

Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.

Deles não quero resposta, quero meu avesso.

Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.

Para isso, só sendo louco.

Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.

Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.

Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.

Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.

Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.

Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.

Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.

Não quero amigos adultos nem chatos.

Quero-os metade infância e outra metade velhice!

Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.

Tenho amigos para saber quem eu sou.

Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade” é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde

sábado, 1 de novembro de 2014

Algumas coisas já vivi, umas boas, outras nem tanto.


Daqui a uma semana (Hoje) com a graça do bom Deus chegarei (chego) aos 31 anos desta passagem breve por este lugar tão diversificado chamado terra.

Algumas coisas já vivi, umas boas, outras nem tanto.

Em algumas áreas me enxergo completamente juvenil, ou até mesmo infantil, tenho muito, mas muito a aprender, em outras me sinto como um idoso, às vezes com a cabeça tão fechada ao ponto de não se dispor a aprender o que é arrogância, orgulho e intolerância disfarçada de "maturidade" ou "segurança", mas talvez seja meramente aquilo que acomete todo ser humano: vaidade!

Na vida acredito que podemos aprender com as crianças e ensinar aos adultos, aos idosos, e vice-versa.

Tenho dúvidas, tenho medos, mais dúvidas que medos, e acredito que enquanto há dúvidas, há vida e esperança, quando há medo, há morte e pavor.

Há dias que acordo desesperançado, sem alegria, onde nem mesmo a morte seria suficiente para trazer alento e paz, há angústias e angústias em uma existência.

Há outras manhãs que a gente ri de tudo, de qualquer coisa, se diverte com a música do Pablo, dança "tá vendo aquele gelo que você me deu? Estou tomando todas com uísque red bull", se olha no espelho e pensa/diz: "eita que o Tom Cruise quando fez Ases Indomáveis gostaria de ser tão lindo como eu".

Acredito que a vida é única, que é muito curta para ser pequena, que o saudável é viver cada fase em sua devida época, para não chegar aos 40 querendo "viver" o que não viveu aos 18, um atraso de dois anos aqui e acolá ou ser precoce neste mesmo tempo é compreensível, está dentro da margem de erro, mas não dos institutos de pesquisa da política, ok?!

Se eu tivesse que dizer algo ou "dar algum conselho"... 

Viva com amor, faça com amor, fale com amor, e tudo isto de modo intenso. Não abra mão dos seus princípios, embora esteja aberto a rever conceitos, não seja inflexível como um poste, nem manipulado como uma marionete, mude se necessário, mas não negocie sua consciência, seu coração e sua alma. 

Abrace mais, faz bem a alma e ao coração, elogie se for algo que parte do seu íntimo, e faça a crítica ainda que pareça inoportuna, não queira agradar gregos e troianos, nem Ulysses, e nem Cristo conseguiram, embora o primeiro o quisesse e o segundo não tivesse esta pretensão. Diga não às vezes, mas saiba dizer um sim por convicção ao invés de expressá-lo por constrangimento.

Ame os idosos, cedo ou tarde você se tornará um, e mesmo que não, ame assim mesmo, como gratidão pelo que foram e são em sua vida e por tudo o que fizeram por ela.

Ame e eduque as crianças, ela serão o futuro não muito distante, hoje será o ontem do amanhã, e o amanhã o presente do depois, "a vida é breve como a neblina", mas os anjos nos invejam por isso, só nós temos o privilégio de amar e de sentir dor. Sim, sentir a dor é um privilégio, significa que ainda estamos vivos.

Eu sempre brinco dizendo que ou viverei até os 33 anos, o que me restariam mais uns 2 a viver, ou que não gostaria de passar dos 70, apesar da cara de menino (sem barba é claro) já tenho algumas dores do tipo "junta tudo e joga fora". Estou gostando dos fios brancos.

A maior dor que já senti?

Em 1990 sentando no colo do pai quando chorávamos juntos no Recanto do Sol a triste e dolorosa eliminação da seleção brasileira pela a Argentina na Copa do Mundo.

O momento de maior solidão que já vivi?

No dia que as 4 cápsulas acertaram fatalmente meu herói bandido.

O dia de maior coragem?

O mesmo dia da morte dele quando lutei como um gigante sendo apenas um pequeno, acreditando de todas as maneiras que ele pudesse sobreviver.

A maior satisfação?

No dia em que eu disse para meu pai, ainda aos 7 anos que homem que é homem não bate em mulher.

Meu pai era bonito, sabia dançar, cozinhava como poucos, sabia se vestir, sabia entrar e sair muito bem dos ambientes, jogava 1000 vezes mais futebol do que eu, tinha seus defeitos, mas estes guardo para mim, e acima de tudo tinha um coração do tamanho do mundo, eis aí sua maior virtude e seu maior defeito...

Eu sou grato a Deus que É pai me ter dado um pai, aliás três, pois amo como se fosse meu pai o meu padrasto Juscelino e o meu tio Edmilson, sou grato pelas muitas mulheres que Ele colocou em minha vida, minha tia que é pai e mãe, minha mãe a quem tive o privilégio de reencontrar no curso da existência, as minhas primas irmãs que são sete (Re, Dea, Nanda, Pri, Manu, Bambis e Kaka), e minhas irmãs Pinha e Cinthya (Pit Girl). E não poderia me esquecer do meu irmão caçula a quem reencontrei 20 depois, meu amado Jorge Luís.

Já namorei um tanto, já machuquei, e também fui machucado, agi por impulso, e também racional demais, perdi oportunidades, e fiz das não oportunidades, oportunidades, sou bem quisto por alguns, leso para outros, mas prolixo para quase todos, uns se cansam e outros passariam horas a me ouvir (confesso que acho estes um tanto quanto loucos).

Qualquer dia escrevo um livro falando de tudo um pouco...

Prestes a completar 31 anos sou grato pelas alegrias e pelas dores, tudo teve e tem o seu propósito, acredito que estou em constante aprendizado, como dizem meus amigos espíritas "evoluindo".

Na vida já fui furtado, roubado e violentado, e também já o fiz tudo isso de uma vez só com muita gente, há 4 anos, nas eleições, quando votei em Cássio, hehehehe, a gente não pode perder a piada né gente?!

Brincadeiras à parte nem a ele eu desejo mal, só que não se eleja já fará um bem a si e povo da Paraíba, rsrsrs.

Um dia que eu gosto?

04 de julho, mas não tem haver com a independência dos EUA. 

04.07.1912 - Nascimento do meu avô João Vicente Filho
04.07.2012 - Corinthians 2 x 0 Boca Juniors, e eu estava lá no Pacaembu na fila S de Sheik, cadeira 10 (Campeão Invicto da Libertadores, NUNCA SERÃO)
04.07.2014 - Brasil 2 x 1 Colômbia, o primeiro jogo da seleção a gente nunca esquece, ainda mais em uma Copa do Mundo.

Um lugar?

Nossa que difícil.
João Pessoa é claro, mas a Holanda é o lugar mais incrível do mundo, e aqui no Brasil apesar de não ter praia Minas Gerais! Aliás em Minas tudo é bom, menos o Aécio, rsrsrs...

Um nome de uma mulher?

Todo nome com a letra A é lindo, eu gosto de Maria, Maria Eduarda (é charmoso) e toda Duda é linda. Rebeca é um nome especial. Gosto de Ana, quase todo nome com Ana é lindo, Mariana, Juliana, Adriana, Luciana, Giovana, embora até hoje o nome mais lindo que pronunciei não tenha a letra A no seu primeiro nome, e ela é tão doce quanto...

PS: Escrevi há uma semana, publiquei primeiro no face, editei e voltei a publicar, agora aqui no blog.


João Vicente Ferreira Neto

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Problemão à vista...

Problemão à vista...

Se a presidente Dilma e o PT desejam governar os próximos quatro anos com ética, decência e combatendo a corrupção haverá um racha gigantesco com parte dos aliados, muito possivelmente com o maior partido do Brasil, isto ficou notório pela votação de ontem na câmara.

Agora começa a surgir o/um problema mais grave que mensalão, sanguessuga, Petrobras, etc...

Como depois de 12 anos governar sem conchavos, tramoias, arrumadinhos, jeitinhos, etc?

E sem a maioria na câmara e no Senado, caso isto vá se confirmando?

A câmara mais conservadora desde 1964, este ano te lembra alguma coisa?

Não vivi, só sei pelos relatos históricos, mas até a alma geme...

João Vicente Ferreira Neto

Seguidores